Bem-vindo(a) ao multiverso de

Elton Moraes

Escritor Comunicólogo E viciado em café

sábado, 5 de maio de 2018

O que é Literatura?

Segundo o site Significados, Literatura

é a arte de criar e compor textos, e existem diversos tipos de produções literárias, como poesia, prosa, literatura de ficção, literatura de romance, literatura médica, literatura técnica, literatura portuguesa, literatura popular, literatura de cordel e etc. A literatura também pode ser um conjunto de textos escritos, sejam eles de um país, de uma personalidade, de uma época, e etc.

Você deve estar se perguntando o motivo de eu começar esse texto com uma citação tão longa. Não é com a intensão de esfregar algo em alguém (oi?), mas a de dar significado ao que vou falar em seguida.

Como vocês sabem (ou não), ano passado fiz uma pesquisa online chamada Gostos Literários, que teve um bom retorno. Foram quase 400 participantes quando sequer achei que daria uma centena. De qualquer modo, as respostas vieram e muitas delas me surpreenderam. Principalmente as da pergunta sobre o que as pessoas não consideravam literatura.

Dentre as respostas temos distopia, young adult, biografia, autoajuda, fanfic, hot (erótico), LGBT, livros acadêmicos, poesia, sci-fi, sick-lit e — pasmem — romance (talvez a pessoa tenha dito sobre o romance romântico, o que… né). E a melhor resposta: “Histórias escritas sem dedicação”.

Claramente, não vou entrar no mérito de descrever cada um desses gêneros, subgêneros ou categorias. O que me cabe aqui é analisar sobre a importância da literatura como um todo.

Mas qual a sua importância?

Ao meu ver, existe um certo preconceito literário. Esse foi o termo (se é que posso chamar assim) mais próximo que encontrei enquanto recolhia as respostas. Sem pender apenas para o nacional, o que já carrega uma bagagem e tanto, peguei-me a lembrar das várias vezes em que vi discussões em redes sociais, a de que “X” e “Y” são tidos como literatura enquanto “Z” não é.

Mas como diz a citação lá em cima, Literatura “é a arte de criar e compor textos”, incluindo os científicos/acadêmicos; incluindo a poesia, incluindo as ficções científicas. Não é porque um texto não traz fundamentalmente algo ultra, mega, hiper profundo e extremamente reflexivo, que você não pode, de alguma forma, ser tocado pela aquela escrita do clubinho “Z”.

“Tudo o que se escreve é literatura”, disse alguém em uma resposta, ao passo que outro falou “Toda obra escrita é um gênero literário. Não é porque uma pessoa não se identifica com algo que este deixará de ter valor”.

(Estou escrevendo com os pés porque as mãos estão ocupadas aplaudindo).

Este é o “x” da questão.

O valor real da Literatura, como um todo, não é algo sólido nem fixo para todos. O valor da Literatura está em como você é afetado por ela. Enquanto obras que são glorificadas como “Alta Literatura” nem sempre vão te fazer algum bem ou trazer algo relevante, os populares podem revolucionar sua vida.

Mas toda história precisa ser relevante?
Não.

Eu acredito que uma história tem que te tocar, esse é o papel fundamental da Literatura, ao meu ver. E se ela apenas te diverte, significa que, do mesmo modo, está te trazendo algo bom: um momento de descanso, um momento para respirar. Nem todos os livros serão profundíssimos. Nem todos vão apenas entreter. Mas todos possuem uma história, todos fazem parte de uma Literatura, seja ela alta, baixa, um gênero por si só ou um subgênero.

Nós, como leitores, fazemos a Literatura.
E nós, como contadores de histórias, somos Literatura.

Escritor, comunicólogo e viciado em café!

0 comentários:

Postar um comentário

Elton Moraes
Curitiba, Paraná

ME MANDA UM OI!