Oi, povo! Estava aqui, de boas no computador, pensando e escutando Sia, quando bateu uma vontade de escrever sem pensar no sentido e no qu...

HISTORIETA

Oi, povo! Estava aqui, de boas no computador, pensando e escutando Sia, quando bateu uma vontade de escrever sem pensar no sentido e no que sairia. Então resolvi postar o resultado aqui, espero que curtam ;)

HISTORIETA

A música retumba em meus ouvidos como um aviso de que estou enlouquecendo, deixando-me cair, estatelar no chão de mármore gelado do poço criado em minha mente. E não sei mais quem eu sou, se ainda sou alguma coisa, ou se sou somente ele e nada mais. Por quê?

Perder nem sempre é uma opção, mas pode ser uma escolha. A vida é feita de escolhas, momento que vão e vem, que correm, que caminham, que dão passos para trás. E tudo o que queremos é retornar, não é mesmo? Seguir em frente nos dá medo, é repugnante e desconhecido. Sinistro e totalmente alarmante.

E se haverá linha de chegada? Não sabemos, talvez nunca saibamos. Quem sabe não exista, perdida entre o ganhador e o perdedor — uma única pessoa cuja mente se dilacera entre o prazer e a exaustão, sem sentido, intocado, perdido. Tão carente e amargurado, que esquece o que é viver, sonhar, realizar. Sequer o sabor das lágrimas reconhece. Está tão absorto em ser alguma coisa que se esquece de ser alguém.

Talvez não possa ser.
Talvez não queira.
Talvez esqueceu.

Talvez esteja morto.

0 comentários: