Sou apenas um iniciante na arte da escrita. Alguém que quer ganhar um espaço no mundo literário; apresentar o meu trabalho. Posso não s...

Talvez um Desabafo…


Sou apenas um iniciante na arte da escrita. Alguém que quer ganhar um espaço no mundo literário; apresentar o meu trabalho. Posso não ser um grande autor, nem mesmo estar entre os mais lidos da cidade, mas estou aqui para, aos poucos, conquistar a confiança do povo e mostrar quem sou.
            Não sei exatamente sobre o que escrevo, e se escrevo… Apenas construo frases e parágrafos unindo palavras, sentimentos e emoções. Quem sabe isso faça parte de mim mais do que imaginei. Só sei que sou apaixonado e domado pela magia da literatura.
            Se sei rimar? Até posso tentar. Mas não é sempre, que a coisa se estende.
            Às vezes penso e repenso. Por quê escrever, se sou um mero alguém perdido nesse mundo de regras, leis e alienação, onde a maior parte do povo mal tem tempo para respirar, quanto mais a ler? Mas digo: quem lê, não se restringe apenas ao plano físico e “real”, mas viaja, descobre e conhece novos lugares e pessoas, ganha novos conhecimentos e melhora a própria língua. Afinal, hoje em dia é bom ter a língua afiada, não?
            Não faço ideia se o que digo está certo, mas às vezes quero que o “certo” exploda e que vá para o espaço, junto de suas miseráveis leis que ordenam as pessoas a realizarem o que não querem. Por quê não podemos ser mais livres, como os livros? Por quê não podemos viver uma história mágica com final feliz?
            E quem disse que ainda não temos esperança de conseguir o que queremos? Basta acreditar na magia das histórias e nos infiltrar em suas linhas e parágrafos, fugindo para o mundo no qual nos é apresentado, e poderemos assim fugir um pouco do que é real e massacrante. Podemos sim, viver várias vidas, como se o mundo que vivemos fosse apenas um reflexo maldito daquilo que não acreditamos e do que tememos.
            Talvez você me julgue pelo que escrevo. Talvez não goste do que digo. Talvez diga que não sou um escritor e que nunca serei um Paulo Coelho da vida. Mas que graça teria se eu fosse e repetisse o mesmo que alguém já fez? Aprenda uma coisa: não podemos ser a sombra das pessoas, temos que ser a própria luz que nos ilumina e seguir por nosso caminho.

Boa leitura!
Elton Moraes

4 comentários:

  1. Ótimo texto, Elton!!! Falou bonito e a verdade que está dentro de você. beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AAAAH! Muito obrigado, Josy! Vindo de você a opinião se torna muito importante à mim ><

      Excluir
  2. Elton, você escreveu o que todos precisam ler! Eu concordo com cada palavrinha, e que palavrinhas, heins? *u* Você tem o talento correndo nas suas veias, sabia? Mande o "mundo real" para a varinha que partiu e bora escrever obras que serão lidas e relembradas pelo resto da vida. Sucesso na sua jornada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Rafa, obrigado! Suas palavras são inspiradoras! Fico feliz que tenha gostado do que escrevi. E que o "mundo real" vá pra varinha que partiu! UHSUAHSA

      Excluir